Garotas do Rock

14 de abril de 2021

Banda de Belfast é uma das apostas da cena local. Conheça o Dea Matrona!

Por Vitor Diniz-Fotos : Divulgação Oficial  e  Orlaith Forsythe&Mollie McGinn

A Irlanda e a Irlanda do Norte vivem um momento altamente criativo em várias searas. Se na moda, estilistas como Emma Manley e Danielle Romeril atraem as antenas do mundo fashion para todo esse rolê irlandês, na música pop o mesmo está acontecendo, já que ótimos grupos não param de debutar nas lindas cidades das duas Irlandas, apesar do momento trágico que o planeta atravessa.
Em Dublin, na República da Irlanda, temos o fundamental Pillow Queens, os contagiantes The Murder Capital e Inhaler(do Elijah Hewson, filho de Bono Vox e irmão da Eve Hewson) e o aclamado Fontaines D.C entre outros nomes. Em Galway, também na Irlanda, onde está localizada uma das melhores casas de shows da Europa – o intimista e indie Róisín Dubh – surgiu o The Clockworks. O quarteto foi lançado pelo charmoso selo Creation 23 de Alan McGee, o manager que revelou o Oasis. Também em Galway, o NewDad começa a se destacar com seu dream pop. Já o som envolvente e a poesia punk de Sined O Brien fizeram uma ponte bacana com a moda inglesa, ao trabalhar com a fantástica Vivienne Westwood! Sined é de Limerick, cidade que fica a cerca de duas horas de carro de Dublin.
Agora chegou a vez das meninas do Dea Matrona mandarem o seu recado. Power Trio, no melhor estilo, que nos entrega muita competência e uma certa atmosfera psicodélica e vintage, o Dea Matrona representa a cena de Belfast na Irlanda do Norte e conta em sua formação com três garotas muito jovens que esbanjam senso fashion. As irmãs Mollie, de 21 anos (guitarra, baixo e voz) e Mamie McGinn, de 17 anos(bateria) e a amiga delas Orlaith Forsythe, de 20 anos(guitarra, baixo e voz) parecem tocar como veteranas, tamanha é a noção musical e estética do grupo. Parte dessa bagagem, elas ganharam tocando covers de seus ídolos nas ruas comerciais e movimentadas de Belfast.


Impossível não lembrar do maravilhoso The Strypes, que são de Cavan, também na Irlanda do Norte e que, quando surgiram em 2013, com o álbum Snapshot, chamaram atenção pela pouca idade de seus meninos, que usavam ternos impecáveis, blazers e jaquetas, apontando para uma onda um tanto mod certeira e também meio alternativa. Os Strypes, que por sua vez sempre olharam mais para o Rhythm&Blues, fizeram inclusive um belo show em São Paulo, no Cultura Inglesa Festival de 2015, no Memorial da América Latina.
E as badaladas meninas americanas do Haim? Você já pode ter pensado nelas, lendo algumas das linhas acima. Embora façam um som mais indie que o Dea Matrona, e já sejam consagradonas, o fato de Danielle Haim e suas irmãs terem surgido em 2013, com tão pouca idade, pode sim conferir uma conexão com as meninas de Belfast, sem falar que ambos os trios parecem curtir muito o Fleetwood Mac.

Camiseta assinada por Alana McDowell

O hype em torno do Dea Matrona é aquecido, principalmente, pelos fãs na internet e pela imprensa especializada local, que começa cada vez mais a olhar para a banda. Ouça ”Just Wanna Rock” e comprove o quanto o Dea Matrona é de fato empolgante. Elas fizeram bonito tocando essa faixa em uma atração da BBC Ulster.
Os vocais das garotas são primorosos, elas se alternam bem demais nas vozes, algo que acrescenta um frescor pop em suas músicas, sem perder a garageira que a pilha rock&roll delas pede.
As irmãs McGinn, vale lembrar, são de uma familia com raízes musicais em Belfast. Elas duas e a amiga Orlaith parecem ter, desde sempre, escutado discos seminais da cultura rock. No YouTube é fácil achar o Dea Matrona, arrasando em espertas covers de clássicos de Led Zeppelin, Cream, Beatles, Fleetwood Mac, Van Morrison, Black Sabbath, e The Runaways,( com certeza o título dessa matéria é uma alusão ao filme que retratou a carreira da banda de Joan Jett&Cia) .
Outro indicador do boom criativo que a Irlanda e a Irlanda do Norte atravessam, é a parceria da ilustradora de Belfast radicada em Londres, Alana McDowell com o Dea Matrona. Alana criou uma camiseta do grupo que estava sendo vendida por vinte libras no site www.deamatrona.co.uk , mas que já está esgotada. A pegada, ao mesmo tempo modernosa e retrô da linda camiseta, dialoga bem com a aura do grupo e com o clima do clipe da faixa ”Make You My Star”, de 2020 e que corresponde ao último single lançado pelo Dea Matrona. O trio tocou recentemente de forma sensacional  ”Make You My Star” no  The Late Late Show do canal RTÉ e a música se tornou o hit da vez no ITunes UK .( Assista ao vídeo abaixo através do canal oficial do programa The Late Late Show no YouTube)
O EP Away from the Tide, de 2019, com quatro faixas, está disponível em CD, e em todas as plataformas. E quem sabe se um disco das meninas não pinta em breve em LP? Seria a cara delas lançar um álbum em vinil, não é mesmo? E pensar que se não fosse essa terrível pandemia, elas estariam trabalhando ainda mais, tocando em vários palcos pelo Reino Unido e pela Irlanda e participando de muitos festivais .

Reino Unido&Irlanda | Popmix

artigo publicado por popmix
tags